Monday, July 31, 2006

O dia da estréia de Superman Returns

Aterrizando diretamente de Krypton para o planeta terra, Superman chega ao país do Tio San.
Bryan Singer, diretor do Filme “Superman Returns foi presenteado com uma dádiva - o harmônico aspecto de sol com Júpiter, proporcionando um período cheio de oportunidades, assinalando grandes chances do filme atingir grandes distâncias. Nesse sentido foi uma ótima estréia do filme nos Estados Unidos. Mas porque a bilheteria americana não está dando o retorno esperado?
Com um custo em torno de 260 milhões de dollares (205 milhões na produção e 60 milhões na pré-produção) o filme dirigido por Bryan Singer não tem conseguido um índice tão bom. Agora a Warner depende mais do mercado internacional para recuperar o investimento gasto no filme.
Até o momento, com menos de um mês de lançamento os resultados comerciais apontam para 180 milhões de dollares no mercado americano (62%) e 110 milhões (38%) nos países onde já houve a estréia.
Tenho escutado muitas desculpas para essa decepção em relação a bilheteria... Uns alegam que é porque Superman carrega nas costas o fracasso do Superman IV, de muitos anos atrás até hoje; outros porque é férias em alguns países e a criançada prefere ver carros falantes e monstros com cara de polvo. A minha explicação, no entanto, é bem diferente.
Analisando o céu do dia 30/06/2006 constatamos que era lua nova – a lua dos inícios, mas nada que começa nessa fase terá resultado imediato, se desenvolve aos poucos e vai crescendo ao longo do tempo, sem pressa.... (o filme “Batman Begins” sofreu do mesmo problema, demorou muito para engatar nas bilheterias do cinema, e seu melhor resultado veio posteriormente nas vendas de dvds, e produtos associados a marca).
A lua estava no signo de virgem, deixando os americanos na estréia extremamente críticos, olhando os mínimos detalhes, com uma apreciação pra lá de rigorosa. Os pormenores contaram mais do que o geral. Assistir o filme sem meticulosidade foi impossível para eles!
Júpiter que entre outras coisas, é um planeta associado a longas distâncias, ao estrangeiro, filosofias, valores éticos, protetores, todos temas relacionados com o filme,estava muito destacado neste dia.
Primeiro recebendo o trígono do Sol, trazendo a sensação de otimismo e renovação de esperanças, com a crença de que o que quer que se deseja é possível (mesmo que sejam propósitos muito ambiciosos). E essa mensagem foi muito bem transmitida para o espectador. O espírito de conquista tomou conta de quem foi assistir ao filme. Para a Waner aponta, sem dúvida nenhuma um lançamento cheio de possibilidades.
Júpiter estava em tensão com Kiron, deixando todos muito ligados ao lado messiânico do filme, reforçado ainda pelo título da matéria de Lois Lane “Porque o mundo não precisa de Superman” . Esse foi um dos temas centrais da história, mostrando Lois tentando quebrar a imagem de Superman como um Super-herói e salvador da humanidade. Isso foi literalmente uma ferida para o homem de aço, tal qual Kiron com sua flecha envenenada: Não o matou, mas terá que conviver eternamente com isso.
E o que esse aspecto entre Júpiter e Kiron desperta nos espectadores?
A sensação de querer ser salvo por um ser divino, algo que surja do céu, como Superman, quando tudo parece perdido.
As mulheres principalmente, se sentiram mais tocadas na cena que Superman resgata o avião e pergunta se ela está bem... O time feminino sente esse lado mais extraordinário da história, de ser favorecida, querida e especial.
É dolorido para todos que “viajaram” no filme sair do cinema e se deparar com a dura realidade que ele não existe.
Júpiter no signo de escorpião mostra que é em cima de uma crise, uma dificuldade, uma emergência que Superman cresce e volta a mostrar sua importância. Júpiter em escorpião não faz a sua popularidade crescer aos poucos, ao contrário, é através de uma oportunidade que ele dá uma tacada e mostra para o mundo que ele faz a diferença! Nunca é com uma coisinha leve, light. São oportunidades que mostram que é preciso crer em renascimentos. O mito que tinha morrido ressurgiu das cinzas e salvou mais uma vez o planeta terra.
O lado mais romântico do filme é mostrado belo harmônico trânsito formado entre Vênus e Kiron. Deixando claro que a ferida de toda trama está na questão do relacionamento. Mas como o aspecto de Kiron é benéfico, ele traz para o Super a consciência de que é preciso enxergar a situação sob um nova ótica. Ao vermos as lágrimas nos olhos de Superman sentimos o quão é difícil para ele suportar a perda de sua amada. Até o Super sofre a decepção de que nem sempre a vida corresponde aos mais nobres ideais, amando uma pessoa que no momento é inatingível. A maior ferramenta de cura foi continuar com sua dedicação para todos os seres.
A maior lição deixada pelo aspecto Vênus/Kiron é mostrar que os relacionamentos constituem uma grande lição de vida.

monica burich e brandon routh - superman returns

1 comment:

flavinhabilac said...

Adorei a sua análise sobre o filme Superman Returns , sobre os personagens, as mensagens implícitas nele. Gostaria de saber se voce realiza consultas, elabora mapas astrais, fiquei extremamente interessada. Assim como Brandon Routh, sou libriana, nascida em 16/10/1980, há muitas coincidencias entre librianos, personalidade, jeito, manias. Como faço para saber mais a respeito, muitíssimo obrigada.

Att.

Flávia Bilac

 

superman

super homem

super heroi

smallville

kansas
metropolis
clark kent